Arquivo do Autor

Metrosul realiza testes iniciais em novas elevatórias de esgoto em Canoas

Postado por aegea-ppp em 11/ago/2022 - Sem Comentários

Construídas no bairro Harmonia, as duas estruturas estão recebendo ajustes operacionais

 

Os primeiros trabalhos aconteceram nesta quarta-feira, 10, para verificar o funcionamento das quatro bombas (duas por unidade) e a eficiência do bombeamento do efluente da rede coletora até seu destino final. Novos testes estão programados ao longo deste mês para que todos os componentes e sistemas sejam devidamente avaliados e adequados. Além dos conjuntos de bombas, as novas elevatórias também contam com poços de sucção, tubulações de barriletes e redes de bombeamento, equipamentos eletromecânicos, bem como sistemas operacionais interligados ao Centro de Controle Operacional da Ambiental Metrosul.

 

Localizadas nas ruas Zumbi e Apolinária da Silva, as estações de bombeamento têm, respectivamente, capacidade de vazão de 62 e 16 litros de esgoto por segundo, e foram instaladas para atender a nova demanda de coleta de esgoto no bairro Harmonia, que recebe a ampliação do sistema com a instalação de 30 quilômetros de nova rede e aproximadamente 4,5 mil conexões de residências. As novas elevatórias integram o projeto de expansão de coleta e tratamento do esgoto em Canoas e são essenciais para a funcionalidade do sistema na região, contribuindo ainda mais com a eficiência do processo de bombeamento do esgoto doméstico gerado no bairro, para a ETE Mato Grande, uma das principais estações de tratamento operadas pela Ambiental Metrosul na Região Metropolitana de Porto Alegre.

 

“Entramos na fase final dos trabalhos e essas avaliações são fundamentais para a operacionalização das EBEs. Conforme os testes forem acontecendo, vamos promovendo os ajustes para garantir a plena funcionalidade das estruturas quando todo o sistema de esgotamento no bairro entrar em operação”, comenta o Gerente de Operações da empresa, Stenio Cangussu.

 

As duas estações de bombeamento entram em operação após a implantação dos 30 quilômetros de rede e, consequentemente, conforme as 4,5 mil conexões de imóveis forem sendo feitas. Nesse sentido, a Metrosul orienta os moradores das ruas que já contam com a estrutura para que aguardem o comunicado da Corsan com as devidas orientações e procedimentos para fazer a ligação intradomiciliar – de responsabilidade do proprietário do imóvel. Esse é o sistema interno que conectará a residência à rede pública, direcionando o esgoto à estação de tratamento. Como a nova rede implantada no bairro ainda não está operante, se a ligação à mesma for feita o esgoto poderá retornar às residências causando extravasamentos e outros prejuízos.

Ambiental Metrosul realiza obras para conexão de imóveis à rede de esgoto em Esteio

Postado por aegea-ppp em 01/ago/2022 - Sem Comentários

A partir desta quarta-feira, 03, a empresa inicia a instalação de 400 ramais de ligação e terminais de inspeção e limpeza (TIL) nos bairros Vila Olímpica e São José. As obras começam pelas ruas Olga Benário Prestes e Santana, e acontecerão, ainda, nas ruas Quaraí, Guarani e Érico Veríssimo. A previsão é de que os trabalhos nessas vias sejam concluídos em aproximadamente 40 dias, em condições climáticas favoráveis. Essa estrutura é fundamental para conectar o sistema intradomiciliar – que é de responsabilidade do proprietário do imóvel – à rede pública de esgoto, direcionando, assim, o efluente gerado na residência para a estação de tratamento. Sem esse ramal não é possível fazer a conexão.

A Metrosul deixa a estrutura pronta para que o proprietário conecte o imóvel no prazo de 120 dias, após receber a notificação da Corsan. Passado esse período será cobrada a taxa de disponibilidade – quando o usuário dispõe de rede coletora de esgoto, mas não tem sua residência conectada. Por isso, quanto antes a ligação à rede for feita, maiores serão os descontos na conta e os benefícios à população.
Atualmente, 3,7 milhões de litros de esgoto são tratados por dia no município, contribuindo, diretamente, para a melhora dos índices de saneamento na região. Além de ajudar a preservar o meio ambiente, o tratamento de esgoto também contribui com a prevenção de doenças, promovendo mais saúde, dignidade e qualidade de vida às comunidades.

A fim de minimizar os transtornos, uma vez que as intervenções serão realizadas nas calçadas e trechos das vias, com possibilidades de desvios no trânsito, as equipes da Ambiental Metrosul executarão os trabalhos por segmentos, evitando o bloqueio nas ruas pelo menor tempo possível. A empresa ressalta, ainda, que está comunicando os usuários sobre os serviços e seus benefícios.

 

Obras para conexão à rede de esgoto iniciam nesta semana, em Alvorada

Postado por aegea-ppp em 13/jul/2022 - Sem Comentários

Ligações evitarão o despejo de 63 piscinas olímpicas do efluente não tratado no meio ambiente

A previsão é de que a instalação de 1,5 mil ramais de ligação e terminais de inspeção e limpeza (TIL) comecem nesta sexta-feira, 15, pelos bairros Jardim Aparecida e Formoza. Essa estrutura é fundamental para conectar o sistema intradomiciliar – que é de responsabilidade do proprietário do imóvel – à rede pública de esgoto, direcionando, assim, o efluente gerado na residência para a estação de tratamento. Sem esse ramal não é possível fazer a conexão.

A Metrosul deixa a estrutura pronta para que o proprietário conecte o imóvel no prazo de 120 dias, após receber a notificação da Corsan. Passado esse período será cobrada a taxa de disponibilidade – quando o usuário dispõe de rede coletora de esgoto, mas não tem sua residência conectada. Por isso, quanto antes a ligação à rede for feita, maiores serão os descontos na conta e os benefícios à saúde da população e ao meio ambiente.

A expectativa é de que os serviços sejam concluídos até o final deste ano, e com as 1,5 mil ligações à rede sendo executadas, 63 piscinas olímpicas de esgoto doméstico deixarão de ser despejadas no meio ambiente por ano, contribuindo com a preservação dos mananciais da região. Atualmente, mais de seis milhões de litros de esgoto são tratados por dia no município, contribuindo com a melhora dos índices de saneamento, promovendo mais saúde, dignidade e qualidade de vida à população.

A fim de minimizar os transtornos, uma vez que as intervenções serão realizadas nas calçadas e trechos das vias, as equipes da Ambiental Metrosul executarão os trabalhos por segmentos, evitando o bloqueio nesses trechos pelo menor tempo possível. A empresa ressalta, ainda, que atuará com comunicação e sinalização ostensiva, informando os usuários sobre os serviços e seus benefícios.

Metrosul distribui mais de cinco mil sementes com o Horta na Escola

Postado por aegea-ppp em 07/jul/2022 - Sem Comentários

Projeto teve a adesão de 130 instituições da rede pública de ensino na RMPA

Ao propor o cultivo de hortas nas dependências das escolas, a iniciativa teve como objetivo estimular a consciência ambiental junto ao público infantojuvenil, incentivando práticas sustentáveis em prol da preservação do meio ambiente. Além dos professores, a iniciativa mobilizou desde os pequenos de séries iniciais até alunos de turmas mais adiantadas. Aproximadamente 5,2 mil sementes de temperos e hortaliças foram distribuídas em kits entregues às escolas com orientações de plantio e informações sobre como fazer compostagem com o lixo orgânico produzido pelos alunos. Participaram 31 instituições de Esteio, 29 de Guaíba, 23 de Canoas, 22 de Viamão, 12 de Cachoeirinha e Sapucaia do Sul e uma escola de Alvorada. Destaque da programação especial promovida pela Ambiental Metrosul durante o mês do meio ambiente, o projeto também possibilitou a aproximação com a comunidade escolar das regiões em que a empresa está inserida.

Entre as ações desenvolvidas, os educadores tiveram a oportunidade de trabalhar conteúdos sobre ciclos sustentáveis, cuidados com o planeta, separação do lixo, tempo de decomposição de cada objeto descartado, entre outros. Muitas escolas estenderam as atividades além do círculo escolar, possibilitando aos alunos que essas práticas também fossem aplicadas em casa, estimulando o envolvimento das famílias.

“A aceitação do Horta na Escola pela comunidade escolar e o engajamento dos alunos foram muito positivos. Algumas instituições até utilizaram o projeto como incentivo a desenvolverem outras iniciativas para que a conscientização ambiental seja permanente”, comenta Mateus Alves, da área de Responsabilidade Social da Metrosul. Ele destaca, ainda, a importância da educação ambiental ser cada vez mais disseminada nas escolas. “Não precisamos esperar pelo futuro. As crianças podem fazer a diferença agora, multiplicando entre a família, amigos e sua comunidade os conhecimentos e aprendizados adquiridos em sala de aula”, conclui.

Por meio do Portas Abertas, programa socioambiental da Ambiental Metrosul, alunos da rede pública dos nove municípios atendidos pela empresa também têm a oportunidade de conhecer as estações de tratamento e os ciclos do esgoto desde a chegada na estação até ser devolvido aos mananciais, livre de impurezas.

Metrosul fecha o mês do meio ambiente com oficina que transforma o óleo de cozinha em sabão

Postado por aegea-ppp em 30/jun/2022 - Sem Comentários

Com a reciclagem de 21 litros do resíduo foram produzidos mais de 30 quilos do produto

Promover a conscientização ambiental e evitar o descarte indevido de gordura nas redes de esgoto é o principal objetivo do De Olho no Óleo, programa socioambiental implementado pela Ambiental Metrosul nesta quinta-feira, 30. A ação reuniu 32 moradores de Alvorada em uma oficina de produção de sabão com o reaproveitamento de óleo usado. A ideia é que, após a aula, os participantes multipliquem os conhecimentos em suas comunidades.

Durante quase duas horas foram dadas as orientações sobre armazenamento e filtragem do óleo que sobra de preparos culinários, o passo a passo e as técnicas utilizadas na transformação do resíduo em sabão em barra biodegradável. Para a manipulação dos produtos, os alunos receberam instruções específicas sobre os cuidados a serem tomados e o EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) necessários como luvas, óculos de proteção e máscara. Além de ser uma alternativa ambientalmente sustentável, a reciclagem do óleo de cozinha também oferece benefícios sócioeconômicos: ao produzir o próprio sabão há redução de custos na compra de produtos de limpeza e pode ser uma fonte de renda ao ser vendido.

O óleo é um dos principais causadores de problemas ao sistema de esgotamento sanitário das cidades e de danos ao meio ambiente. Ao ser jogado na pia, tanque de lavar roupa ou vaso sanitário, o resíduo solidifica, acumulando nas paredes do encanamento, retendo outros materiais sólidos obstruindo, assim, a tubulação. Além do entupimento, dificulta a manutenção das redes, prejudicando o funcionamento das estações de tratamento e de bombeamento, ocasionando extravasamentos nas residências bem como em vias públicas. O óleo descartado no esgoto também causa a poluição dos rios e lagos, causando a morte e impedindo o desenvolvimento de espécies, além de afetar o solo e contribuir com a proliferação de doenças.

O QUE FAZER COM O ÓLEO USADO?

Primeiro deixe esfriar. Depois, passe por uma peneira (para remover os resíduos de fritura ou do preparo) e com a ajuda de um funil, coloque em garrafas PET bem fechadas para evitar vazamentos e insetos. Além do reaproveitamento em sabão, outra alternativa é procurar, em sua cidade, locais e instituições que façam a coleta e reciclagem do resíduo.

A ação foi realizada em parceria com o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul – IFRGs, que cedeu o espaço para a oficina; da União das Associações de Moradores de Alvorada – Uama ao indicar os multiplicadores para a iniciativa, além da Ereditá, saboaria familiar que compartilha conhecimentos ambientalmente sustentáveis e ministrou a oficina de forma voluntária.

 

Programação especial marcou o mês do meio ambiente

Dois projetos mobilizaram centenas de alunos e professores de escolas da rede pública de ensino das cidades atendidas pela Ambiental Metrosul. Mais de 140 instituições de ensino aderiram ao Horta nas Escolas, cujo objetivo é disseminar práticas sustentáveis junto ao público infantojuvenil. A empresa forneceu as sementes, orientações de plantio e dicas para fazer a compostagem. Já por meio do Portas Abertas, 110 crianças de Cachoeirinha, Canoas e Esteio foram recebidas nas estações de tratamento dos municípios e conheceram os ciclos do esgoto desde sua chegada nas ETEs até ser devolvido aos mananciais, contribuindo com a preservação do meio ambiente. Foi a primeira vez que o projeto recebeu o público infantil. A programação também contou com o plantio de espécies de 50 mudas de espécies nativas em área degrada de Canoas, em parceria com a Secretaria Municipal do Meio Ambiente, além das campanhas internas que estimularam o engajamento dos colaboradores seja exercendo o voluntariado nas ações promovidas pela empresa ou compartilhando o que fazem pelo meio ambiente em seu dia a dia com o Desafio Exemplo Vem de Casa.

Ambiental Metrosul capacita jovens em eletromecânica

Postado por aegea-ppp em 21/jun/2022 - Sem Comentários

Oito jovens se formaram pela Unidade Projeto Pescar Ambiental Metrosul e estão prontos para atuar na área

André, Cauan, Felipe, Melissa, Miqueias, Nathália, Sibele e Victor foram selecionados em junho de 2020, entre mais de 520 candidatos inscritos para compor a primeira turma da Unidade Projeto Pescar Ambiental Metrosul e, depois de 11 meses, foram graduados durante solenidade na noite desta segunda-feira (20), em Canoas. A escolha da empresa na formação de profissionais para a área de eletromecânica em saneamento vai ao encontro do crescimento do segmento, que expandiu desde a implantação do novo marco regulatório.

Foram 900 horas de aulas – entre encontros remotos e presenciais – em que os jovens tiveram a oportunidade de trabalhar aspectos de desenvolvimento pessoal e profissional por meio de conteúdos voltados ao autoconhecimento, relacionamento interpessoal, comportamento e cidadania, empreendedorismo, saúde e sustentabilidade. Entre os técnicos, os alunos ampliaram seus conhecimentos em soldagem elétrica, desenhos técnicos, entre outros. Nesse sentido, vale ressaltar o desempenho das jovens Melissa, Nathália e Sibele, que se destacaram na turma mesmo que essas atividades ainda estejam relacionadas ao público masculino. O curso foi ministrado por uma educadora social e contou, ainda, com a contribuição voluntária de 20 colaboradores da Metrosul na aplicação de conteúdos que somaram à formação dos alunos. Eles também puderam complementar suas habilidades e conhecimentos com os cursos de capacitação e desenvolvimento profissional da Academia Aegea, o portal de aprendizado do Grupo oferecido aos colaboradores e que também foi disponibilizado aos jovens do Projeto.

Além dos jovens formandos e familiares, a cerimônia de formatura da primeira turma do Pescar Metrosul também contou com a presença dos diretores da empresa, Angelo Mendes e Fabio Arruda; da gerente do Programa Social Pescar, Silvia Regina dos Santos e colaboradores da Ambiental Metrosul. “Foi um privilégio participar do processo de transformação desses jovens que certamente encerram esse importante ciclo em suas vidas melhores e mais preparados. Pra nós da Metrosul, mais que um orgulho, vê-los chegar até aqui é a certeza que todos os esforços para que o Projeto Pescar se tornasse uma realidade na nossa empresa não foram em vão”, fala com entusiasmo o diretor-presidente Angelo Mendes.

 

A gestão do Projeto Pescar na Metrosul é da área de Responsabilidade Social, com a atuação do articulador Mateus Alves, responsável pelo relacionamento da Fundação com a empresa. Para ele, essa formatura é duplamente especial. “Ser a primeira turma do Projeto na empresa já e motivo de orgulho a todos nós. Mas ver os jovens conquistarem, e merecerem, o dia de hoje é muito gratificante por todos os obstáculos e desafios que foram superados desde a implantação até a concretização do projeto durante a pandemia. Mateus comenta, ainda, que “participar do Pescar e ser uma oportunidade de crescimento pessoal e profissional tanto para os jovens como a todos que, de alguma forma, se engajam e acreditam ao projeto.”

Com a formação, os jovens estão aptos à participarem de processos seletivos na própria Ambiental Metrosul e outras empresas que desejam oportunizar aos alunos sua primeira experiência profissional. Interessados devem contatar o articulador Mateus por meio do e-mail mateus.alves@ambientalmetrosul.com.br.

O curso de iniciação profissional da Unidade Ambiental Metrosul retoma as atividades em fevereiro de 2023, passando a acompanhar o calendário letivo escolar.

De Portas Abertas, Metrosul recebe crianças e mostra o ciclo do tratamento de esgoto em suas estações

Postado por aegea-ppp em 14/jun/2022 - Sem Comentários

Alunos da rede pública de ensino participaram, nesta terça-feira (14), de atividades nas Estações de Tratamento de Esgoto de Mato Grande – Canoas e Esteio/Sapucaia, em alusão ao mês do meio ambiente. A iniciativa aconteceu por meio do programa socioambiental Portas Abertas, que tem como objetivo possibilitar que as comunidades atendidas conheçam as instalações operacionais da empresa. Essa é a primeira vez que o projeto recebe o público infantil.

Durante as visitas, os pequenos conheceram todas as fases de tratamento pelas quais passa o esgoto desde a chegada na estação, os processos para a remoção dos poluentes até o seu retorno aos mananciais. Nesse sentido, são realizadas análises rotineiras a fim de garantir que o esgoto tratado nas ETEs administradas pela Metrosul seja devolvido à natureza cada vez mais limpo, livre de impurezas, contribuindo com a preservação do meio ambiente. Na ação, também foram abordados os benefícios à saúde de toda a população, principalmente no combate de doenças causadas pela falta de saneamento como diarreia, infecções gastrointestinais, dengue, febre tifoide, entre outras, responsáveis por internações hospitalares e evasão escolar.

Para Mateus Alves, da área de Responsabilidade Social da Ambiental Metrosul, mostrar o processo e a importância do tratamento de esgoto às crianças no mês dedicado ao meio ambiente tem um significado especial. “O interesse e a curiosidade demonstrada pelos alunos nessa primeira experiência comprovam que é um público que merece atenção. A conscientização dessa geração é que vai nos garantir uma cultura mais sustentável futuramente”, destaca.

Na estação de tratamento Mato Grande, que recebe 21.6 milhões de litros de esgoto ao dia, participaram 30 alunos de 6º ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental Irmão Pedro, do bairro Estância Velha. Já em Esteio, a ação contou com a presença de 40 crianças do 3º ano, da Escola Municipal de Ensino Básico Paulo Freio, do bairro Votorantim. Nessa estação, o volume diário de esgoto tratado é de 3.715 milhões de litros.

A professora Agatha Xavier, que acompanhou a turma de Canoas, ressalta que “essa é uma ação muito importante pois ao saberem como funciona o tratamento de esgoto os alunos terão mais consciência e poderão repassar o conhecimento aos demais colegas e familiares, além de contribuir para que mantenham hábitos mais saudáveis em casa também.”

Nesta quarta-feira (15), será a vez da ETE Freeway, em Cachoeirinha, receber o Portas Abertas com a visita de aproximadamente 45 alunos de 6º ano da EMEF Dagmar de Lima Mucillo, do bairro Parque da Matriz.

Desde o começo deste mês, escolas da rede pública de ensino das nove cidades da Região Metropolitana de Porto Alegre atendidas pela Ambiental Metrosul também podem participar do projeto Horta na Escola. Por meio do plantio e cultivo de sementes, a iniciativa tem como objetivo incentivar, entre alunos e professores, a reflexão acerca da sustentabilidade e preservação ambiental.  Instituições interessadas em receber os kits com as sementes e orientações para compostagem podem formalizar a solicitação até o dia 27/06 no e-mail comunicacao.metrosul@ambientalmetrosul.com.br.

Ambiental Metrosul e Secretaria Municipal de Meio Ambiente recuperam área de preservação em Canoas

Postado por aegea-ppp em 09/jun/2022 - Sem Comentários

Em ação conjunta na manhã desta quinta-feira (9), foram plantadas em torno de 50 mudas de ingá, araçá e pitanga. A iniciativa tem como objetivo recuperar o entorno de um córrego de água natural do Arroio Guajuviras, afluente do Rio dos Sinos, área de preservação permanente, conforme lei federal, degrada pelo descarte irregular de resíduos e cobertura vegetal deficiente em espécies nativas. O local foi definido pelas equipes técnicas da SMMA e da Metrosul, e a ação contou com a participação do prefeito do município, Nedy de Vargas Marques; dos diretores da empresa, Angelo Mendes e Fabio Arruda, e de colaboradores voluntários, além do Secretário do Meio Ambiente, Paulo Ritter, e de profissionais da pasta.

Antecipando o plantio, equipes da Prefeitura de Canoas realizaram a limpeza do terreno e aproximadamente 10 caminhões de lixo e outros materiais foram recolhidos. “A situação degradante da área reforça a importância da educação ambiental como uma pauta que precisa ser abordada permanentemente em todos os âmbitos da sociedade”, comenta a Coordenadora de Meio Ambiente da Ambiental Metrosul, Fernanda Cenci.

Para ela, o plantio das mudas não representa somente uma ação pontual no mês do meio ambiente, pois complementa uma série de outras iniciativas ambientais que estão sendo implementadas pela empresa. “Entendemos que nossa responsabilidade vai além da operação, tratando o esgoto e devolvendo em condições aos mananciais. Somamos à nossa atuação o engajamento efetivo em ações que reforcem o nosso propósito, contribuindo para melhorar a saúde das pessoas e a preservação do meio ambiente”, destaca Fernanda.

O prefeito Nedy agradeceu a parceria da Metrosul e destacou a importância da iniciativa. “Mais que uma ação para marcar o mês do meio ambiente, que seja também um exemplo para conscientizar a população quanto à responsabilidade de cada um na preservação dos nossos recursos naturais, começando pelo ambiente ao nosso redor. Com a nossa parceira, continuaremos atuando firmes e permanentemente na promoção de boas práticas ambientais”, ressalta.

Para que o local não volte a ser depósito irregular de resíduos, prejudicando não somente o recurso hídrico, mas toda a flora e fauna presentes na região, a Secretaria Municipal do Meio Ambiente fará o monitoramento periódico da área, bem como a manutenção e o acompanhamento do cultivo das mudas nativas plantadas.

Projeto Horta na Escola abre programação do mês do meio ambiente na Ambiental Metrosul

Postado por aegea-ppp em 01/jun/2022 - Sem Comentários

A iniciativa consiste na doação de kits contendo sementes para que escolas da rede pública de ensino dos municípios atendidos pela empresa cultivem hortas em seus espaços. O objetivo é o de estimular, por meio de atividade lúdica entre professores e alunos, a reflexão sobre sustentabilidade e preservação ambiental. O Horta na Escola é a primeira de uma série de ações programadas pela Metrosul durante junho, mês em que se comemora o Dia Internacional do Meio Ambiente. Com o projeto, a Ambiental Metrosul também quer motivar novos multiplicadores de boas práticas, fazendo com que os exemplos e aprendizados adquiridos em sala de aula sejam levados para a comunidade, podendo ser replicados entre familiares e amigos.

Sementes de tomate cereja, salsa lisa, pimenta-biquinho, mix de folhas, manjericão roxo, alecrim, hortelã e orégano, além de orientações de plantio e informações sobre como fazer compostagem com o lixo orgânico produzido pelos alunos na escola compõem o pacote. Dessa forma, podem ser trabalhados conteúdos sobre ciclos sustentáveis, cuidados com o planeta, separação do lixo, tempo de decomposição de cada objeto descartado, além de disponibilizar temperos para a comunidade escolar.

Os kits estarão disponíveis a partir desta quarta-feira, dia 1º, e as escolas que tiverem interesse em participar do projeto devem encaminhar um ofício solicitando as sementes até o dia 27/06 para o e-mail comunicacao.metrosul@ambientalmetrosul.com.br. Ainda, durante todo o mês, as escolas participantes devem enviar o registro das atividades desenvolvidas com os alunos para a elaboração de um documento final com os resultados do projeto.

Projeto educacional resgata escrita de cartas como forma de aprendizagem na rede pública de Canoas e Esteio

Postado por aegea-ppp em 24/maio/2022 -

As oficinas preparatórias do Respeito às Diferenças aconteceram na última semana, mobilizando educadores de aproximadamente 20 instituições de ensino de ambos os municípios. Produzida pela Horizonte com o apoio do Instituto Aegea e Ambiental Metrosul, a iniciativa tem como objetivo incentivar a leitura, a produção textual e de ilustrações dos alunos, promovendo a autoestima e a relação de pertencimento dos estudantes com a escola.

Nos encontros, os professores de quarto e quinto anos do ensino fundamental receberam formação no gênero literário cartas, tendo como reflexão principal o tema respeito às diferenças. Com metodologias pedagógicas alinhadas a competências definidas pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC), os participantes receberam um guia de orientação literária, com sugestões de atividades para aplicação em sala de aula.

Esses conhecimentos serão desenvolvidos com as turmas a fim de resgatar a magia da escrita de cartas, incentivando a criatividade e imaginação dos estudantes que deverão desenvolver seus próprios trabalhos. Em julho, as melhores produções de cada escola serão enviadas para as secretarias municipais de educação e uma comissão julgadora composta pelos profissionais da Horizonte definirá os trabalhos publicados em livro e também no site do projeto https://respeitoasdiferencas.com.br. A previsão é de que os exemplares cheguem nas escolas participantes em setembro deste ano.

Além de Canoas e Esteio, outros municípios brasileiros atendidos por empresas do Grupo Aegea também estão recebendo o Projeto Respeito às Diferenças: Diamantino, Pedra Petra e Sorriso – Mato Grosso; Cariacica e Serra – Espírito Santo; Matão e Piracicaba  – São Paulo e Teresina – Piauí.